Diversos

Marquei com o dermatologista para mostrar minhas pintas. Tornou-se rotina há anos, quando descobri uma perigosa. Não era nada, mas podia ter sido. Pintas são traiçoeiras. Escolhi um profissional que oferece outras coisinhas. Digamos, alternativas estéticas. Em minha juventude, homem que usava perfume demais já sofria bullying. Não tenho o hábito de passar cremes e coisas do tipo, embora compre. Vejo um creminho perfumado, gostoso, compro. Guardo para usar algum dia e vou deixando. Ah, que preguiça!

O médico observou minhas pintas com lupa. Tudo o.k. Aproveitei para saber de tratamentos estéticos. Ele comentou:

– Esses vincos na testa. A gente pode aplicar Botox.

– Pensei que me davam uma aparência sábia!

– Envelhecem.

Olhei os sulcos. Pareciam marcas de uma moto na areia da praia.

– Do lado dos olhos também, veja quantas preguinhas.

No espelho, aumentadas, não eram preguinhas, mas um leque. Minha dúvida:

– Doutor, vou poder fechar os olhos?

Explicou que não havia riscos. Essa história de não fechar os olhos acontece mais com plásticas exageradas. A pele fica tão esticada que as pálpebras não descem.

Mostrou o laser. Há várias coisas que se podem fazer com um bom laser. Tirar rugas.

– Dói?

– Dá uma sensação de queimado, mas não é demais.

– Seja franco. É churrasco a laser?

Certas perguntas não merecem respostas, foi o que concluí. O doutor fez uma sessão demonstração que, em 15 minutos, deixou meu queixo mais fino.

– Todas as manhãs, passe este creme.

Meu problema é esse. A palavra “manhã”. Acordo tarde. Acordar é modo de dizer. Sinto-me como Drácula empurrando a tampa do caixão, num processo longo e sofrido. Arrasto-me para escovar os dentes e tomar banho. Como me dedicar ao creminho em tal estado psicológico?

– Não use sabonete comum para lavar o rosto à noite. Vou pedir uma espuma de romã, por manipulação.

Por que romã, e não uva, abacaxi ou melão? Ele devia ter seus motivos.

– Às vezes, fico com a aparência cansada, doutor.

– Tem esse pancake aqui. É muito usado por homens, porque é discreto. Veja. É quase do tom da sua pele.

Observei o pancake. O tom. Já vi muitos amigos, absolutamente héteros, quero ressalvar, com a pele naquele tom.

– Você também pode ressaltar os olhos com esse delineador. É discreto. E você devia usar um xampu especial.

– Meu cabelo é tranquilo.

– Vou passar a receita de um xampu que hidrata, ficará melhor.

– Doutor, sinceramente. Preciso de plástica?

– Bem… aqui e aqui. Se der uma puxadinha, mais uma…Vai adquirir uma aparência mais leve.

– Morro de medo de ficar esticado como um tamborim.

– Depois a pele relaxa.

– Além do mais, e a barba? O que acontece?

– Terá de fazer barba atrás da orelha. É comum.

– E as orelhas, não vão bater palmas atrás da cabeça?

– Talvez fiquem um pouco afastadas, mas você disfarça com o cabelo. Ah, sim. Se fizer plástica no rosto, aproveite para tirar um pouco da barriga. Faça uma lipo.

Já fiz, confesso. A lipo em si não foi dolorosa. Mas depois, ao longo de dois meses, é preciso usar um colete apertado, para dar forma ao estômago. No verão, ferve. E a barriga voltou. Voltará sempre, pois não sou de academia.

– Você tem de fazer exercícios para se manter – aconselhou o médico.

– Também preciso escrever. Trabalhar. Cuidar das pequenas coisas do cotidiano.

– Pense em como será feliz ao se olhar no espelho. Você tem sorte. Tem maxilar.

– Espera, doutor. Todos nós não temos?

– Alguns rapazes têm, mas muito fino.

Então eles aplicam um produto que molda o osso, e o maxilar fica quadrado.

Lembrei de alguns astros de televisão. Rosto quadradíssimo. Huummm…

Fui para casa pensativo. Um amigo acaba de operar a gengiva inteira. Tirou 8 milímetros para ressaltar os dentes. Também fez a remodelação do maxilar. Uma tatuagem para encobrir a falha das sobrancelhas. E operou por dentro da gengiva para afinar o rosto. Tem um filho e diz com o maior orgulho:

– O garoto é minha cara.

Será que o menino vai ficar parecido com as plásticas?

Fato: homem com pancake é comum na noite. Fato: homem gosta de ser bonito. Fato: eu adoraria fazer tudo isso se não fosse preguiçoso. Sou do tipo que rói unha e não tira a cutícula. Mas ser masculino, hoje, significa ter seu ritual de beleza.

Comments

comments


Observações

  1. Walcyr,
    O homem atual procura estar dentro dos padrões de beleza estabelecidos sem que isso ponha sua masculinidade em risco. É comum homens fazendo sobrancelhas, pegando pesado na academia e passando certinho depois. É o retrato do homem moderno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *